quinta-feira, 5 de novembro de 2009

Freeway


"Uma das coisas mais inexplicável nessa vida é a amizade entre o ser humano e o cachorro é como se fosse de pai e filho.É um amor tão grande,que quando a gente perde é como se perdesse uma parte do nosso corpo,dói tanto,ainda mais quando a gente não sabe realmente o que aconteceu.O meu cachorro sumiu e eu não sei se ele se perdeu ou morreu,parece que essa indefinição torna tudo muito mais doloroso,o Freeway tá comigo há catorze anos,eu sei que uma hora eu iria perdê-lo,mas para mim seria muito mais confortante saber que ele está morto do que ficar sem notícia nenhuma,é muito dificil ficar neste dilema:será que foi atropelado?,será que tá passando fome?,será que tá machucado?,tudo isso atormenta demais.

O Freeway foi como um filho muito esperado,eu queria muito ter um cachorro,só que os meus pais estavam meio receosos pelo fato de nunca ter dado certo ter um cachorro,só que a cadelinha do meu tio ia ter cria e desde a gestação dela,eu sabia que um iria ser meu,então fiquei esperando ansiosamente o meu bebê,escolhemos o nome,minha mãe que escolheu,ela sugeriu Freeway por causa de uma série de tv muito famosa chamada CASAL 20,que tinha um cachorro com esse nome,achei diferente e muito chiquê rsrsrsrrsrsrsr...Ele nasceu no dia 14 de fevereiro de 1995,me apaixonei no momento que o vi,queria trazê-lo para casa,mas tive que esperar ele deixar de mamar,o meu filhinho só veio para casa na páscoa do mesmo ano,quer presente melhor?O meu cachorro não era nenhum santo,tinha dia que me tirava do sério,nada do que eu tentava ensinar ele aprendia,mas como se fosse um filho eu o amava com seus defeitos e qualidades,passamos tantas coisas juntos..."

Nenhum comentário:

Postar um comentário